Volvo e Uber apostam na condução autónoma

Volvo e Uber apostam na condução autónoma

O construtor sueco e a empresa de Silicon Valley estão dispostos a unir esforços para desenvolver automóveis para condução autónoma

Volvo-UberA Volvo Cars e a Uber assinaram um acordo com vista ao desenvolvimento conjunto de automóveis capazes de incorporar os mais recentes desenvolvimentos para condução autónoma . Estamos assim perante um projecto conjunto, avaliado em cerca de 300 milhões de dólares, o qual será monitorizado em estreita colaboração pelos engenheiros de ambas as empresas, com o objetivo de atingir o desenvolvimento de modelos com condução totalmente autónoma.

PUB

Os automóveis de condução autónoma que irão resultar deste projecto utilizarão como base um modelo fabricado pela Volvo Cars e serão utilizados por ambas as empresas que posteriormente irão incorporar as suas tecnologias de condução autónoma.

Esta parceria entre um fabricante automóvel e uma das empresas de Silicon Valley representa um avanço significativo na indústria automóvel sublinhando o caminho que, a nível global, a mesma pretende seguir, como resposta à chegada das novas tecnologias. Esta aliança marca o início do que ambas as empresas preveem poder constituir uma parceria a longo prazo.

“A Volvo é um dos fabricantes de automóveis mais avançados e contemporâneos do Mundo. Somos líderes no desenvolvimento quer de sistemas de segurança ativa quer de tecnologias de condução autónoma e possuímos uma credibilidade inigualável em matéria de segurança. Estamos bastante orgulhosos por ser parceiros da Uber, uma das empresas mundiais líderes a nível tecnológico. Esta aliança irá colocar-nos no centro da revolução tecnológica por que passa atualmente a indústria automóvel”, referiu a propósito Håkan Samuelsson, o presidente e CEO da Volvo Cars.

Os novos automóveis irão utilizar a plataforma SPA — Scalable Product Architecture —, a qual tem vindo a ser utilizada pela Volvo na produção dos seus mais recentes modelos onde se incluem o galardoado XC90, lançado em 2015, ou os novos S90 e V90 lançados este ano. O desenvolvimento da plataforma SPA faz parte do programa de transformação industrial global que a Volvo iniciou em 2010, e que prevê a aplicação de tecnologias de condução autónoma bem como o aumento da oferta de soluções eletrificadas e o desenvolvimento de opções de conectividade, tendo sido estas valências que atraíram uma empresa como a Uber.

Volvo-Uber-02

“Mais de um milhão de pessoas perde a vida anualmente em acidentes com automóveis. Estas são tragédias que a tecnologia de condução autónoma poderá ajudar a reduzir. Não poderemos concretizar este objetivo sozinhos e é por isso que a nossa parceria com um grande construtor como a Volvo é tão importante. A Volvo é líder no que toca ao desenvolvimento de veículos e na segurança. A combinação das nossas capacidades irá permitir-nos chegar mais rapidamente ao futuro”, resumiu Travis Kalanick, o 'chief executive' da Uber.

Será importante referir que a Volvo tem sido pioneira no desenvolvimento de tecnologias que contribuam para a condução autónoma, pretendendo a empresa sueca continuar nesta senda que culminará na diminuição do impacto climático associado à redução do tráfego, do consumo de combustíveis e consequentemente na diminuição da poluição causada pelos automóveis. A condução autónoma é ainda um elemento de crucial importância para a concretização da sua Visão 2020 na qual ninguém perderá a vida ou ficará gravemente ferido num novo Volvo a partir desse ano.

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.