Grupo PSA reafirma cumprimento de legislação

Grupo PSA reafirma cumprimento de legislação

Direção Geral da Concorrência, Consumo e Prevenção contra a Fraude levou resultados de investigação ao Procurador da República Francesa

GrupoPSA-01O Grupo PSA emitiu esta quinta-feira um comunicado em que reafirma o cumprimento da regulamentação em todos os países onde opera , frisando que em momento algum os veículos do Grupo foram equipados com sftwares ou dispositivos que permitissem detectar a realização de testes de conformidade e activar mecanismosde tratamento de gazes poluentes, que ficariam inativos aquando da utilização por parte dos clientes. Acrescenta o comunicado agora emitido que os resultados dos testes realizados pelas diversas autoridades europeias e francesas confirmaram que os veículos do Grupo estão conformes aos critérios dos testes.

PUB

Este comunicado surge depois da DGCCRF - Direção Geral da Concorrência, Consumo e Prevenção contra a Fraude, ter decidido transmitir ao Procurador da República Francesa as conclusões da sua investigação, uma atitude que causou surpresa junto do Grupo PSA, motivo pelo qual pretendeu o Grupo que tem a seu cargo a produção dos modelos automóveis das marcas Peugeot, Citroen e DS deixar clara a sua posição, “de modo a evitar qualquer equívoco e para defender os interesses da empresa, dos seus 180 mil colaboradores, dos seus clientes e dos seus parceiros.”

Segundo afirma em comunicado, “o Grupo PSA entende que a investigação da DGCCRF diz respeito aos motores diesel da antiga geração Euro5 (norma em vigor de 2009 a 2015). Não obstante, os testes efetuados recentemente pelo IFPEN num veículo Euro5 do Grupo não revelaram qualquer anomalia. Os resultados dos testes corroboram a abordagem adoptada pelo Grupo PSA – que foi explicada às diferentes autoridades e meios de comunicação social – relativamente às suas escolhas de regulação de motores, baseadas no comportamento dos clientes em condições reais de utilização.”

Acrescenta o comunicado que os motores do Grupo PSA “são desenvolvidos com o principal objetivo de reduzir as emissões de NOx em zonas urbanas, ao mesmo tempo que garantem o melhor equilíbrio de NOx/CO2 em zonas extra-urbanas, num amplo leque de temperaturas e sem interrupção.”

“Além disso — peossegue o mesmo comunicado —, o Grupo PSA comprometeu-se a respeitar, já a partir deste ano – ou seja, com três anos de antecedência –, o valor limite regulamentar do factor de conformidade do projeto RDE (Real Driving Emissions), aplicável a partir de 2020, no âmbito da futura norma. Este novo procedimento substituirá o método de medição utilizado atualmente, que não é representativo das condições de uso pelos clientes.”

GrupoPSA-Fabrica01

Em jeito de conclusão, o Grupo PSA lembra que é o único fabricante de automóveis no mundo a ter adoptado o que diz ser “uma política de transparência total sobre os consumos e a emissão de CO2 dos seus modelos em condições reais de utilização”, através de um protocolo de medições definido em colaboração com duas ONG e um organismo de certificação, mais de 50 modelos foram avaliados ao longo de 35.000 km percorridos durante os testes, sendo que os resultados das medições estão disponíveis nos sites das marcas Peugeot, Citroën e DS. Garante ainda o Grupo PSA que “esta política de transparência será estendida às emissões de NOx (óxidos de nitrogénio) este ano.”

A propósito deste tema, Gilles Le Borgne, director de Investigação e Desenvolvimento do Grupo PSA, declara: "Estamos surpreendidos com esta notícia, designadamente porque a PSA orgulha-se de ser pioneira no desenvolvimento de tecnologias de despoluição (filtro de partículas e SCR), de ser líder em matéria de redução das emissões de CO2, e a pioneira na política de transparência para com os clientes em relação aos consumos em condições reais. Assim, a PSA vai lutar para defender as suas tecnologias, o seu know-how e a sua competitividade ao serviço da indústria francesa, da qual é o maior exportador do setor automóvel".

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.