Mercedes apoia reflorestação do Parque da Pena

Mercedes apoia reflorestação do Parque da Pena

As violentas tempestades que fustigaram aquela área do concelho de Sintra em 2013 e 2015 provocaram a queda de mais de 2000 árvores

RespSocial-MB4-1No âmbito das suas ações de responsabilidade social, e enquanto empresa socialmente responsável, o Grupo Daimler em Portugal decidiu intervir e ajudar na reflorestação do Parque de Pena , em Sintra, depois de este ter sido fustigado em 2013 e em 2015 por violentas tempestades que originaram a queda de mais de 2000 árvores.

PUB

A acção de reflorestação teve lugar no local conhecido por regato das perdizes (Parque da Pena), no dia 20 de Janeiro de 2017, e contou com a participação de cerca de 40 voluntários das empresas do Grupo Daimler em Portugal para juntos ajudarem a plantar 200 Pseudotsugas, uma espécie de árvore conífera, semelhante ao pinheiro, de rápido crescimento e que permite uma densa arborização.

A importância da reflorestação das áreas atingidas do Parque da Pena é essencial por esta fazer parte da paisagem cultural de Sintra. Em 1992, a UNESCO alargou as categorias do Património Mundial e criou a de “Paisagem Cultural”. Sintra foi então a primeira Paisagem Cultural na Europa, classificada em 1995.

A Parques de Sintra - Monte da Lua tem, entre outras missões, a de gerir os importantes valores naturais e culturais situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e Queluz: Parque e o Palácio da Pena, os Jardins e o Palácio de Monserrate, o Castelo dos Mouros, o Convento dos Capuchos, o Jardim e o Chalet da Condessa d’Edla e, desde 2012, os Palácios Nacionais de Sintra e de Queluz e a Escola Portuguesa de Arte Equestre sediada nos Jardins históricos de Queluz, e com apresentações no Picadeiro Henrique Calado, na Calçada da Ajuda (Belém).

Além dos monumentos referidos, a empresa gere ainda uma vasta área florestal também na Paisagem Cultural de Sintra. A gestão destas propriedades envolve a sua recuperação, requalificação, revitalização, conservação, investigação, divulgação e exploração, abrindo-as à fruição pública e potenciando a sua valência turística.

Durante a reflorestação houve ainda oportunidade para todos os voluntários verificarem demonstrações dos trabalhos florestais com os cavalos da raça Belga - Ardennais. A Parques de Sintra reintroduziu técnicas tradicionais, ambientalmente sustentáveis, de exploração e manutenção das áreas florestais sob sua gestão utilizando cavalos de trabalho. Estes cavalos apoiam os trabalhos florestais como o transporte de madeira, recolha de resíduos, limpeza de estradas e caminhos, apoiando ainda os passeios de charrete.

RespSocial-MB2RespSocial-MB3RespSocial-MB1

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.