A Audi e a Ericsson acabam de estabelecer um protocolo para uma série de atividades que exploram o potencial da tecnologia 5G na indústria automóvel. As novas tecnologias oferecem inúmeras vantagens, essenciais para qualquer indústria que inclua processos de produção cada vez mais flexíveis e complexos, pelo que a chegada da tecnologia 5G vem permitir velocidades de processamento de dados mais rápidas e maior disponibilidade e capacidade de rede, assim como mais segurança.

Conscientes desta realidade, na sede da Audi em Ingolstadt, na Alemanha, as duas empresas acordaram uma série de atividades com as quais pretendem explorar o potencial da rede 5G como uma tecnologia de comunicação pronta para o futuro, capaz de satisfazer as elevadas exigências da produção automóvel. A Audi e a Ericsson assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) e, nos próximos meses, especialistas de ambas as empresas realizarão ensaios práticos no centro técnico “Audi Production Lab” em Gaimersheim, Alemanha.

Frank Loydl, responsável pelos serviços de informação da Audi, destacou que “a fábrica totalmente conectada irá ter um impacto significativo na produção do futuro”. “Uma poderosa arquitetura de rede, que responde em tempo real, é de importância decisiva para a nossa empresa. Estamos a testar as oportunidades que a tecnologia 5G oferece para aplicações industriais na fábrica inteligente (smart factory)”, referiu.

Além da fábrica de Ingolstadt, a Audi e a Ericsson estão a explorar a possibilidade de aplicar a tecnologia 5G noutras fábricas do grupo Audi, conscientes de que a rede 5G é a próxima geração de comunicações móveis que irá ampliar o desempenho atual das redes móveis para satisfazer as necessidades futuras dos consumidores e das indústrias.

Na primeira fase do projeto, as duas empresas irão testar um aplicativo de latência-crítica usando robôs de produção com ligação sem fios e equipados com um aplicativo de colagem – uma técnica comum na construção de carroçarias.

Pin It