Com um futuro apontado como particularmente preenchido por propostas de mobilidade eléctrica inovadoras, estando em marcha a criação da marca EQ cujo o primeiro modelo mereceu mesmo honras de destaque na cidade de Lisboa por ocasião da última edição da WebSummit, a verdade é que, pelo menos para já, a realidade é ainda pouco visível, isto porque apenas a Classe C e o GLE permitem versões híbridas nas ofertas da marca germânica.

Relativamente ao primeiro, o Classe C apresenta motorizações híbridas nas versões sedan e carrinha (52.902 e 54.144 euros, respectivamente) com motor a gasolina 2.2 litros acoplado a um motor elétrico com 27 CV a permitir ao C 300h uma potência de 204 CV com 500 Nm de binário.

A qualidade de construção, comportamento e refinamento são iguais aos restantes modelos, que o mesmo é dizer particularmente elevados, oferecendo um consumo de 4,2 l/100 km, acelerando dos 0-100 km/h em 6,7s.

Já no GLE, um bloco V6 de 3.0 litros a gasolina com 333 CV acoplado a um motor elétrico com 116 CV, permitem uma autonomia de 30 quilómetros em modo eléctrico, para uma velocidade máxima de 245 km/h e um consumo de 3,5 litros a cada centena de quilómetros, tudo por 89.550 euros.

©LusoMotores/Consilcar Magazine

InstagramLM Botao 

Pin It