Após o dieselgate, a Volkswagen virou-se de forma decisiva para as motorizações híbridas e eléctricas, lançando a marca ID. Não deixando de lado os blocos TSI a gasolina e TDI a gasóleo – onde continuam a investir (em 2030 apenas 15% dos carros serão elétricos...) – o construtor germânico colocou na sua gama uma variante eléctrica do citadino Up!, do “best seller” Golf e duas versões híbridas, conhecidas como GTE, do Golf e do Passat.

No caso dos modelos elétricos, o e-Up! custa 27.769 euros, propondo 82 CV de potência e uma autonomia que não passa dos 165 km. Já o Golf oferece 136 CV e uma bateria de 35,8 kWh que, reclama a VW, autoriza uma autonomia de 300 quilómetros que, na realidade, não vai além de 250, sendo proposto por 40.455 euros.

O Passat, modelo familiar, declina-se na variante GTE em berlina e carrinha, sendo o sistema híbrido o mesmo do Golf, mas um motor elétrico com 115 CV e um binário combinado superior com 400 Nm. Os consumos são de 1,8 l/100 km e emissões de apenas 40 gr/km de CO2 (35 gr/km do Golf), sendo que este Passat GTE está disponível por 48.007 euros, sendo a carrinha proposta por 51.040 euros.

©LusoMotores/Consilcar Magazine

Volkswagen Golf GTE Hybrid 01

Volkswagen Passat GTE Hybrid 02

Volkswagen Passat GTE Hybrid 01

InstagramLM Botao 

Pin It