Após termos acompanhado a primeira apresentação estática do novo Opel Mokka, modelo que estreia a nova filosofia de ‘design’ da Opel, com Opel Vizor e Pure Panel em particular destaque, para uma gama que comporta versões com motorização elétrica e motores a gasolina e Diesel, pudemos agora rodar os primeirois quilómetros ao volante de duas unidades, a primeira com motor a gasolina 1.2 Turbo de 130cv, e a segunda equipada com motor eléctrico de 100 kW (136 cv) com bateria de 50 kWh de capacidade (216 células em 18 módulos) para uma autonomia anunciada pelo construtor de 324 km (norma WLTP).

E se a primeira boa impressão deixada há algumas semanas no primeiro contacto visual tinha sido evidente, uma vez mais as linhas de design do novo Opel Mokka voltaram a receber o nosso agrado nos primeiros instantes deste novo contacto antes mesmo de nos sentarmos ao volante. Para a variante equipada com o motor a gasolina a pintura em dois tons, a branco com o tejadilho preto e apontamentos em vermelho num conunto harmioso e que facilmente captou os olhares de quem o foi vendo passar. Confortável, com bom espaço no habitáculo permitido por esta variante com um visual mais desportivo, quem nele viaja facilmente se apercebe do agradável e funcional pacote de tecnologia disponível a transportar-nos para ambientes em veículos de classes superiores.

Certo é que seja nas versões equipadas com motores térmicos, seja para o Opel Mokka-e — este modelo é o primeiro da marca alemã a ser proposto com motorização elétrica ou motores de combustão logo desde a abertura de encomendas —, a gama surge distribuída por quatro níveis de equipamento – Edition, Elegance, GS Line e Ultimate – com preços a partir de 21.100 euros. sendo que a variante eléctrica (Mokka-e) tem preços estabelecidos a partir dos 36.100 euros.

As encomendadas estão desde já abertas em toda a rede de concessionários Opel em Portugal e as primeiras unidades do Opel Mokka deverão começar a chegar em Abril. Segundo fonte do construtor, a expectativa aponta para para uma maior preferência, naturalmente, pelas motorizações térmicas, e entre estas uma escolha maioritária de unidades a gasolina por parte dos potenciais clientes para esta nova proposta da marca germânica agora no seio do Grupo Stellantis.

Concebido para despertar emoções e mostrar a direcção que a Opel vai seguir no futuro, o novo Mokka apresenta-se assim como o primeiro modelo a exibir o novo ‘rosto’ da marca, o “Opel Vizor”. O novo modelo revela também um novo logótipo Opel. No habitáculo destaca-se outra estreia absoluta: o Pure Panel, integrado num ‘cockpit’ totalmente digital.

E se as motorizações térmicas implica preços a começar nos já referidos 21.100 euros, a variante Mokka-e com motorização elétrica a bateria é proposta com preços a partir de 36.100 euros. A potente e silenciosa unidade motriz debita 100 kW (136 cv) de potência e 260 Nm de binário máximo instantâneo, sendo que no ciclo WLTP a bateria de 50 kWh de capacidade promete uma autonomia até 324 quilómetros.

Apesar de um ligeiro aumento da distância entre eixos (+2,0 mm), o novo Mokka é 12,5 cm mais curto que o modelo anterior, mas oferece volume de bagageira semelhante, disponibilizando 350 litros, e espaço confortável para cinco passageiros. O comprimento total da carroçaria de apenas 4,15 metros facilita as manobras e o estacionamento em zonas urbanas.

Referência para a presença da caixa de velocidades automática de oito velocidades com tecnologia “Quickshift” (patilhas no volante) ma unidade que pudemos testar e que nos deu uma bom primeira impressão para o funcionamento do motor 1.2 Turbo a gasolina de 130 cv. Já para o Opel Mokka-e. ficou a ideia de uma boa prestação na regeneração de energia, algo que teremos que confirmar mais tarde num ensaio mais prolongado. Para esta variante específica, a Opel preparou três modos de condução — Normal, Eco (eficiência aumentada) e Sport (maior dinâmica) —, num sistema que promete recarregar até 80 por cento do estado de carga em apenas 30 minutos num posto de carga rápida DC (corrente contínua) a 100 kW.

Uma boa posição de condução elevada ao jeito dos SUV onde se insere (segmento B-SUV), transporta faróis adaptativos de matriz de LED IntelliLux com um total de 14 elementos, num automóvel igualmente dotado se série com alerta de colisão dianteira com travagem automática de emergência em cidade e deteção de peões, programador de velocidade com limitador, deteção de cansaço do condutor e reconhecimento de sinais de trânsito.

Quanto a outro equipamento disponível, referência para o programador de velocidade adaptativo com função Stop&Go em combinação com caixa automática, assistência activa à manutenção em faixa de rodagem, alerta de ângulo cego e de flancos, sistema de estacionamento automático. câmara traseira grande-angular (180º), sistemas de informação e entretenimento compatíveis com Appole CarPlay e Android Auto, topo de gama Multimedia Navi Pro com navegação e mapas da Europa em 3D e sistema de recarregamento de telemóveis por indução (sem fios) entre muitos outros itens.

As encomendas estão abertas em toda a rede de concessionário do país devendo as primeiras unidades Mokka chegar ao nosso mercado em Abril, altura em que também nós teremos nova oportunidade de testar de uma forma mais prolongada estes novos trunfos que a Opel se prepara para lançar a jogo, que o mesmo é dizer no mercado global.

Jorge Reis/LusoMotores
Pin It