A rede global de centros tecnológicos e instalações de testagem da Stellantis desempenha um papel fundamental no cumprimento dos objetivos traçados no plano estratégico “Dare Forward 2030”. Os mais recentes investimentos em centros de segurança e de aerodinâmica, que se somam a outros investimentos nas áreas da I&D, apoiam o crescimento da Stellantis em termos de eletrificação e na revolução digital, acelerando a sua transição para empresa tecnológica de mobilidade sustentável.

Nesta temática, o centro de segurança de veículos em Turim, em Itália, passa a contar com pistas de testes com um sistema de posicionamento de câmaras, acionado por computador, para desenvolvimento e certificação de veículos elétricos e autónomos. Por outro lado, o túnel de vento de Auburn Hills, no estado norte-americano do Michigan, passa a contar com uma tecnologia de movimento ao nível do solo para maior precisão das medições aerodinâmicas.

Certo é que as equipas de engenharia da Stellantis em todo o mundo estão focadas na criação de veículos de excelência que ofereçam uma mobilidade limpa, segura e acessível. Porque assim é, a Stellantis investiu, recentemente, um total de 33 milhões de euros em duas das suas instalações de testes globais para apoiar a estratégia de longo prazo da Empresa, de modo a alcançar as melhores performances dos seus veículos elétricos (EV) e dominar ao mais alto nível a tecnologia de condução autónoma, garantindo, ao mesmo tempo, tecnologias seguras e fiáveis para os seus clientes.

Estes investimentos, entre outras despesas realizadas em I&D, ampliam a capacidade global da Stellantis para projetar o futuro da mobilidade, acelerar a sua transformação para uma empresa tecnológica de mobilidade sustentável e impulsionar a Empresa rumo aos objetivos definidos no plano estratégico “Dare Forward 2030”, nomeadamente a redução, até 2030, de 50% nas emissões de carbono relativamente a 2021, bem como alcançar emissões líquidas de carbono zero até ao ano de 2038.

As mais recentes melhorias abrangem o Safety Center de Orbassano (Centro de Segurança), perto de Turim, em Itália, totalmente integrado com processos de engenharia digital e com uma remodelação significativa para acolher quatro pistas de teste, com quatro pontos de colisão e capacidade para realização de testes completos a veículos elétricos a bateria (BEV), bem como tecnologia de condução automatizada para automóveis de passageiros, camiões e veículos comerciais ligeiros.

Stellantis Global Testing copiar

Nota ainda para o Túnel de Vento de Auburn Hills, no estado do Michigan, nos EUA, que foi ampliado com a adição uma tecnologia de movimento ao nível do solo, permitindo simular viagens em estrada e proporcionar medições aerodinâmicas mais precisas dos veículos. A redução do arrasto do vento beneficia a autonomia de condução dos modelos BEV.

"Os nossos polos tecnológicos de classe mundial estão hoje a fazer um trabalho que fará com que os veículos da Stellantis do futuro sejam líderes da indústria em termos de capacidade, desempenho e segurança", disse Harald Wester, Chief Engineering Officer da Stellantis. "A nossa comunidade de engenharia é alimentada pelo talento, diversidade e presença global, sendo que estamos a trabalhar intensamente com outras áreas globais, como os nossos parceiros Monozokuri, para dinamizar os eixos da nossa transformação tecnológica. Isto dá-nos uma visão abrangente dos desafios e permite-nos considerar e aperfeiçoar um menu completo de soluções de mobilidade, que nos irão colocar na primeira fila da corrida para podermos inovar e melhorar.

Veículos elétricos e a condução autónoma em testes

Os principais objetivos do plano estratégico “Dare Forward 2030” da Stellantis prevêm que se atinja um mix de vendas de automóveis de passageiros 100% BEV na Europa e um mix de vendas de automóveis ligeiros e de passageiros 50% BEV nos EUA, até 2030.

Os cinco milhões de euros investidos para melhorar o Safety Center de Orbassano proporcionam-lhe a capacidade de testar todo o tipo de veículos eletrificados: mild hybrid, híbridos plug-in e veículos elétricos a bateria. Atualmente, as instalações realizam, pelo menos, dois testes de colisão por dia, estando no caminho certo para testar mais de 275 veículos eletrificados este ano. Os veículos testados em Orbassano podem ser certificados em termos de cumprimento de mais de 175 normas internacionais de segurança e tecnológicas.

A zona pistas de testes dedicada aos testes de colisão está equipada com uma barreira móvel Messring, para testes de impacto frontal e lateral, pelo que Orbassano realiza alguns dos testes mais desafiantes da indústria, incluindo o teste de impacto do lado do passageiro, do tipo “Small Overlap”, que é utilizado pelo Insurance Institute for Highway Safety norte-americano.

As pistas de testes de Orbassano incluem um sistema de posicionamento de câmaras controlado por computador, que integra treze diferentes posicionamentos de câmaras móveis exteriores, sobre o ponto de impacto. As pistas contam, também, com capacidade de vídeo de alta velocidade, havendo um máximo de cinco câmaras que podem ser montadas a bordo dos veículos testados.

Todas estas imagens, para além dos dados instrumentados, fornecem aos engenheiros da Stellantis dados inestimáveis para avaliar os desenvolvimentos atuais e futuros dos veículos. Além disso, os dados são depois partilhados com instalações da Stellantis de todo o mundo, incluindo os centros de testes de segurança complementares de Belchamp (França), Chelsea (Michigan, E.U.A.) e Betim (Brasil), para refinar os modelos digitais de desenvolvimento de veículos.

Estas instalações de última geração estão totalmente integradas com o processo de engenharia digital de segurança da Stellantis, permitindo o desenvolvimento de veículos mais eficientes, cobrindo, praticamente, todos os cenários possíveis em termos de cenários de colisões.

As novas pistas estão prontas a acomodar futuros modos de teste que decorram da introdução de funções de condução automatizadas, em todos os tipos de veículos.

O arsenal de equipamento de Orbassano inclui acessórios de teste estáticos e dinâmicos para fatores como choque com peões, esmagamento do tejadilho e capotamento, bem como trenós de teste para avaliar bancos e interiores de veículos. Os testes aos bancos e aos interiores tornam-se cada vez mais críticos à medida que se adotem futuras tecnologias de condução automatizada que podem dar lugar a novas configurações dos bancos nos habitáculos dos veículos.

Stellantis Safety

Mais precisão aerodinâmica

A eficiência aerodinâmica é um fator decisivo e crucial para otimizar as distâncias que os veículos eletrificados poderão percorrer com uma única carga. Isso requer simular o mundo da condução em modo real com a maior precisão possível.

No complexo de túneis de vento de Auburn Hills, que a Stellantis possui no estado norte-americano do Michigan, está em curso a construção e implementação de uma tecnologia de movimento ao nível do solo (estrada rolante), que simula viagens em estrada, permitindo que os veículos de teste permaneçam estáticos. A Stellantis está a investir 29,5 milhões de dólares no projeto.

Um conjunto de tapetes rolantes permite o movimento das rodas nos quatro cantos do veículo, enquanto um quinto tapete passa por baixo do veículo como se o mesmo estivesse a andar sobre uma estrada. A tecnologia de movimento ao nível do solo também permite medir o arrasto do vento, ou seja, a resistência associada exclusivamente às rodas e aos pneus em movimento, fator que representa até 10% do total de resistência aerodinâmica em situação de mundo real.

As atuais instalações de teste aerodinâmicos de Auburn Hills geram velocidades de vento até aos 240 km/h. A instalação de tecnologia de movimento ao nível do solo, parte de um compromisso na ordem dos 85 milhões de dólares, incluído no contrato da Empresa estabelecido em 2019 com a United Auto Workers, e deverá entrar em funcionamento em 2024.

A capacidade adicional irá complementar o túnel de vento aero-acústico de classe mundial de Auburn Hills como parte de uma rede global de centros de vanguarda, também equipados com esta tecnologia, incluindo duas instalações na Europa.

Pin It