O Mercado Nacional revelou, em setembro, um recuo de 9,1% nos veículos ligeiros e 8,6% entre os pesados, originando uma quebra de 9% face a igual período de 2019, contribuindo para uma contração do mercado nos primeiros nove meses de 2020 de 38,4%. Ou seja, foram vendidas 127.168 unidades entre janeiro e setembro de 2020, quando no mesmo espaço de tempo de 2019 foram matriculados 206.550 veículos, o que deixa claro que o mercado está sem conseguir reagir. 

A Renault manteve a liderança do mercado com 1.599 unidades vendidas em setembro, um recuo de 16,2% que acaba por penalizar o acumulado que perde em 2020 — 43,7% face a 2019 —, grosso modo, pouco mais de 10 mil unidades menos que o ano passado. A Peugeot perdeu menos (matriculou perto de 7 mil unidades a menos que em 2019) cifrando-se o recuo em 37,1%. Em setembro matricularam 1.347 unidades, menos 7,9% face a setembro de 2019. 

O terceiro lugar vai para a Mercedes que no mês passado comercializou 1.223 unidades (menos 6,6%) tendo perdido no acumulado “apenas” 2.400 unidades face aos nove primeiros meses de 2019 (10.289 contra 12.693), ou seja, 18,9% menos. A fechar o “Top 5” encontramos a BMW (934 carros vendidos, um crescimento de 34,4% face a 2019, mas no acumulado perdeu 28% de 10104 para 7.278 veículos) e a Citroen (795 carro vendidos, menos 5,7% que no ano passado e um acumulado de 6.182 unidades, menos 46,5% que nos primeiros nove meses de 2019).

Nissan (640 unidades, menos 7,4%), Seat (702 carros, menos 14,7%) Volkswagen (671 veículos, menos 11,2%), Ford (695 unidades, crescimento de 8,8%) e Fiat (773 veículos, menos 23%), fecharam o Top 10 das vendas em Portugal.

Destaque para a BMW, claro, aumento de 34,4% de vendas em setembro, Ford com avanço de 8,8%, Hyundai com crescimento de 31%, Dacia com mais 10,1% de veículos vendidos face a setembro de 2019, Volvo (mais 1,8%), Kia com mais 0,7% , Mitsubishi com avanço de 1%, Jeep com vendas a crescerem 46,5% e, embora com expressão mínima, os 100% de crescimento da Bentley, pois vendeu 2 carros em setembro.

Olhando ao acumulado nos primeiros nove meses de 2020, somente a Porsche tem crescimento positivo com 22,6% (618 unidades face às 504 do ano passado). Todas as outras marcas registam perdas, algumas de forma dramática: Opel recua 60,4% (de 8.704 em 2019 para 3.446 unidades em 2020), Mitsubishi perde 50,1% (1.233 contra 2.472 unidades), Mazda encolheu 62% (767 carros vendidos contra os 2.201 carros de setembro de 2019), Jeep com menos 55,4% (554 contra 1.243 unidades de 2019), a Smart caiu 85,9% (de 2504 para 353 unidades) e a Alfa Romeo caiu 78,3% vendendo, apenas, 110 unidades em nove meses contra os 508 carros de 2019. Contas feitas, o acumulado de nove meses de 2020 caiu 39,3% de 174.024 em 2019 para 105.660 veículos este ano.

Nos ligeiros de mercadorias, domínio para a Peugeot (menos 2,9% em setembro, 3.969 no acumulado até setembro), seguido da Citroen, Renault, Fiat e Opel, com destaque para a Renault que recuou em setembro 53,6% e 58,2% no acumulado de 2020. Nos primeiros nove meses de 2020, o mercado perdeu 33,8% (18.627 contra 28.156 unidades). Nos pesados, liderança para a DAF, seguida da MAN e da Volvo, com Iveco e Scania a fecharem o Top 5. No acumulado, o recuo é de 34,1%, vendendo 2.881 contra as 4.370 unidades de 2019.

Pin It