GasolinaNaRuaImagine que após o conflito entre taxistas e Uber chegava nova “concorrência inovadora” agora na área dos combustíveis. Não está a ver como? Saiba que a inovação já existe e nos EUA há quem tenha desenvolvido um negocio de “combustível ao domicílio”, ultrapassando os postos tradicionais de abastecimento de combustível.

Quem veio revelar a história foi o canal Bloomberg segundo o qual um novo tipo de serviço está a surgir no continente norte-americanos mas também a provocar polémica, isto porque estão a aparecer diversas empresas com o propósito de fornecer serviço de abastecimento de combustíveis no local onde estiver o veículo do cliente. A ideia é o cliente contactar a empresa prestadora do serviço para que esta vá até ao local.

Através de uma aplicação instalada num smartphone, o cliente pode solicitar o reabastecimento do seu veículo, com um preço estabelecido de acordo o valor mais baixo de venda ao público na região em que se encontrar o cliente. A esse valor acresce uma taxa de serviço que nos EUA está estabelecida nos cinco dólares.

São já várias as empresas no território norte-americano que procedem a este serviço de abastecimento móvel de combustível, havendo mesmo quem permita que a aplicação do smartphone dê indicação da zona em que o veículo se encontra e do nível de combustível no depósito e, em função disso, solicite automaticamente o reabastecimento. Com antecedência mínima de uma hora, em média, o cliente deixa a tampa do depósito do veículo aberta e um pequeno camião-cisterna chegará para abastecer de acordo com o valor solicitado.

É claro que os donos dos postos tradicionais de combustível já se fizeram ouvir, alegando que os camiões-cisternas estão a fazer uma concorrência ilegal num sector que movimenta anualmente largos biliões de dólares. Ainda assim, tal como a Uber vai crescendo, também este negócio nos EUA está a crescer tam como vai crescendo toda a polémica em redor, sendo de aguardar as cenas dos próximos capítulos. Será que este tipo de serviço também daria certo por cá?

Ao canal Bloomberg, fonte dos bombeiros de São Francisco deixaram claro que este negócio não só é ilegal como perigoso, mas em outros estados norte-americanos o negócio parece estar a prosperar, certamente que em proporção directa ao aumento da polémica em redor desta inovação no negócio dos combustíveis.

Pin It