ACAP alerta condutores de pesados sobre pneusA Associação Automóvel de Portugal (ACAP) organizou uma campanha com o intuito de alertar os condutores profissionais para a importância dos pneus dos seus veículos pesados e o seu papel na segurança rodoviária.

Esta campanha da ACAP foi desenvolvida através da sua Comissão Especializada de Produtores de Pneus (CEPP), que integra os principais fabricantes de pneus, e contou com o apoio institucional de diversas entidades, entre as quais a Polícia de Segurança Pública (PSP), a Unidade Nacional de Trânsito da Guarda Nacional Republicana (GNR-UNT), o Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Defesa do Consumidor (DECO) e a Valorpneu - Sociedade de Gestão de Pneus.

No âmbito desta iniciativa, foram levadas a cabo em Vilar Formoso e no Porto de Leixões, nos dias 16 de Junho e 23 de Setembro, respectivamente, a campanha de informação e sensibilização pública para o estado dos pneus “A sua segurança e a do camião está na sua mão”, direccionada aos motoristas de veículos pesados.

Uma das grandes preocupações da CEPP é a segurança rodoviária. Devido à falta de um plano de manutenção e prevenção do pneu, esta campanha visou essencialmente a verificação do estado dos pneus de pesados em circulação, alertar os condutores de veículos pesados para a importância dos pneus enquanto elemento de segurança e sensibilização para a responsabilidade social a nível ambiental.

Durante a campanha foram analisados mais de 200 veículos pesados, tendo-se sido verificado a profundidade do desenho dos pisos e o estado geral de todos os pneus e sido divulgado o “Guia Pneus Pesados”, que reúne um conjunto de recomendações técnicas fundamentais para que os condutores profissionais circulem com maior segurança e eficiência económica, assim como, com menor impacto ambiental.

Ao longo da campanha, foram preenchidas folhas de exame de pneus para posterior análise da CEPP e distribuídos aos motoristas um manómetro e material informativo sobre os pneus pesados, causas de desgaste e conselhos práticos. Após verificação de cada viatura, foi entregue e explicado ao condutor os resultados da análise efectuada ao veículo.

De acordo com a ACAP, os números obtidos não são demasiado preocupantes. No entanto, foram detectadas algumas situações graves.

ACAP alerta condutores de pesados sobre pneus

Resultados da acção de verificação de pneus de pesados

O relatório divulgado pela ACAP mostra que, dos 207 veículos inspeccionados, 58% tinham os pneus em boas condições, 28% necessitavam de ser vistos com brevidade, enquanto 14% apresentavam situações graves que requeriam a intervenção urgente por parte de um especialista de pneus. Perante este cenário, 42% dos motoristas foram aconselhados a consultar um especialista de pneus.

Segundo a ACAP, foi possível verificar que os resultados observados no Porto de Leixões foram mais preocupantes que os de Vilar Formoso, provavelmente pelas características de transporte nacional e regional comparativamente ao transporte internacional, pela necessidade de equipar os veículos com o melhor equipamento devido aos longos períodos de condução continua que aqui se verificam.

Relativamente à profundidade de piso, 6,3% dos pneus analisados apresentavam uma profundidade inadequada, classificado como pneu perigoso (0,5%) ou pneu condicionado (5,8%), sendo que 93,7% dos pneus inspeccionados apresentavam um piso com profundidade em boas condições.

Foi também possível verificar que mais de 14% dos pneus analisados apresentavam danos na área da banda de rodagem. Dos danos verificados, 33,2% corresponde a pneus com cortes ou arrancamento de piso, 22,1% com desgaste nos ombros, 17,1% com desgaste crescente de um ombro ao outro e 11,2% desgaste irregular.

Conforme explica a ACAP no mesmo relatório, a tipologia de desgaste varia consoante o eixo em que os pneus se encontram montados, sendo que os de direcção são caracterizados por um crescente de ombro a ombro ou por um desgaste irregular resultado de correcções mecânicas que são necessárias realizar, ou utilizar o pneu adequado à utilização. O desgaste irregular significa 51% das incidências nos pneus dianteiros.

Nos pneus de tracção, as anomalias mais frequentes são o desgaste irregular, 23%, devido ao desenho em blocos e pressão fora dos parâmetros para além dos arrancamentos, 21%, devido à exigência a que estes pneus estão sujeitos. Os eixos de reboque são os pneus que se apresentam em piores condições devido à dimensão dos veículos, cargas que têm de suportar e às manobras a que estão sujeitos, daí que 46% destes apresentem danos na área do piso que muitas vezes atingem a estrutura do pneu.

Durante a campanha, a ACAP constatou uma demonstração de preocupação pela segurança rodoviária por parte dos condutores de veículos pesados e das empresas de transporte, na manutenção dos veículos e dos pneus em boas condições, porque isso significa viagens mais seguras, com menos imobilizações nas estradas e maior rendimento quilométrico.

Este tipo de acções é considerada uma mais-valia por parte das empresas e do condutor devido ao tipo de informação e preocupação manifestada.

ACAP alerta condutores de pesados sobre pneus

Recomendações da CEPP

No âmbito desta iniciativa, a CEPP recorda que um controlo frequente das pressões e das profundidades dos pisos permite aumentar a vida útil do pneu e contribuir para uma maior segurança nas estradas.

As principais marcas de pneus apostam no fabrico de pneus cada vez mais seguros, eficientes e duradouros, no entanto, é importante ter noção de que estes necessitam de uma manutenção adequada e permanente.

A verificação do ar dos pneus é essencial para o aumento da longevidade do pneu e para uma maior eficiência energética do veículo.

Por outro lado, o desgaste excessivo dos pneus constitui uma séria ameaça à segurança, uma vez que implica a perda de aderência e estabilidade, assim como um aumento da distância de travagem.

Pin It