Elisabete Jacinto terceira na etapa em ÁfricaA piloto portuguesa Elisabete Jacinto (MAN) terminou, esta quarta-feira, na terceira posição entre os camiões e na sétima da classificação conjunta com os automóveis a oitava etapa do Africa Eco Race, mantendo assim o terceiro lugar na geral da categoria e caindo para o 15º posto da classificação conjunta auto/camião.

Nos 377 quilómetros cronometrados cumpridos entre Chinguetti e Amati, predominaram, mais uma vez, as dunas e pistas de areia mole, mas também zonas com muita pedra. Apesar de ter sido uma etapa muito exigente e complicada, a equipa Oleoban conseguiu superar de forma prudente mas eficaz todos os obstáculos que o percurso apresentou.

O trio luso iniciou a jornada de forma cautelosa, porque o traçado não era favorável ao seu MAN TGS de competição, pois, devido ao seu peso e pouca potência, é mais lento a ultrapassar as zonas de areia mole que os seus principais adversários. Ainda assim, Elisabete Jacinto imprimiu um ritmo eficaz que lhe permitiu terminar à frente do Kamaz do russo Sergey Kuprianov e a apenas 2 minutos e 45 segundos do Tatra do checo Tomas Tomecek, que foi o segundo classificado na especial.

“O traçado de hoje [quarta-feira] era devastador. Havia, por um lado, zonas de muito pedra e, por outro, dunas com areia mole. Os 300 quilómetros iniciais foram terríveis. Fizemos o percurso muito devagar e com muita atenção para não termos problemas. Foi um dia massacrante e difícil. Estávamos ansiosos por chegar ao bivouac. Apesar de cansados, o esforço acabou por compensar na medida em que conseguimos realizar uma etapa sem problemas. O resultado desportivo de hoje também nos deixa muito satisfeitos e motivados para continuar a lutar por uma boa classificação”, comentou a piloto lusa, na chegada ao acampamento.

Elisabete Jacinto terceira na etapa em África

Com o resultado obtido ao final desta oitava etapa e num momento em que faltam apenas disputar três especiais cronometradas, a formação lusitana mantêm a terceira posição da classe T4 e sobe ao 12º posto da classificação conjunta auto/camião.

Na terça-feira, a equipa Oleoban sofreu uma baixa na formação devido a uma doença súbita que afectou o seu segundo mecânico, Vítor Pacheco, que foi repatriado de urgência para Lisboa, num voo fretado com equipas médicas, devido a uma crise de apendicite, pelo que a equipa se vê reduzida a cinco elementos. Neste momento, Marco Cochinho é o único mecânico disponível para os dois camiões da equipa, limitando assim a sua acção.

A etapa desta quinta-feira, a nona deste Africa Eco Race, liga Amodjar a Akjoujt. Durante esta especial, onde serão disputados 445 quilómetros ao cronómetro, entre Aout e Akjoujt, aguardam-se mais uma vez grandes adversidades nas travessias de dunas, onde a perícia da condução e o rigor da navegação serão postos à prova. A caravana desta grande maratona africana parte em direcção a Akjoujt, onde o bivouac permanecerá durante dois dias.

 

Pin It