Elisabete Jacinto mantém terceiro posto em ÁfricaA piloto portuguesa Elisabete Jacinto (MAN) terminou, esta terça-feira, na quinta posição entre os camiões a sétima etapa do Africa Eco Race, mantendo assim o terceiro lugar na geral da categoria e caindo para o 15º posto da classificação conjunta auto/camião.

Os 414 quilómetros do difícil sector selectivo que ligou Chami a Amodjar, constituídos por pistas de areia e dunas, revelaram-se bastante trabalhosos para a equipa Oleoban, que gastou 5h52m45s a completar o traçado da especial. Composta por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho, a formação lusa cumpriu com alguma dificuldade e morosidade esta tirada, uma vez que as 10 toneladas do MAN TGS de competição tornam muito difícil transpor as zonas de areia quando esta se apresenta mais fina e mole, como foi o caso.

Perante este cenário, e por forma a não perder demasiado tempo, Elisabete Jacinto teve que gerir cautelosamente a entrada nas dunas, conforme explicou: “Os primeiros 100 quilómetros da etapa de hoje [terça-feira] eram lindíssimos. Muito rápidos, mas era preciso ter muita perícia na condução. Depois vieram as dunas e foi aí que começaram as nossas dificuldades. Para não ficarmos enterrados, fizemos tudo muito lentamente porque o nosso camião é muito pesado e não queríamos ter problemas. No entanto, a certa altura vimos o Scania parado com a sua tripulação a cavar e decidimos sair dos traços dos camiões. Não foi todavia a opção correcta porque acabamos por ficar presos. Estivemos muito tempo a cavar e essa foi a principal razão do nosso atraso”.

Elisabete Jacinto mantém terceiro posto em África

“Depois de sairmos das dunas viemos sempre a andar rápido e não tivemos mais problemas. Sabemos que a partir de agora as etapas vão sendo cada vez mais difíceis e só desejamos chegar bem classificados ao fim. Vamos ver o que a sorte nos reserva”, acrescentou a experiente piloto lusa.

Os russos da equipa oficial da Kamaz continuam a ser os mais rápidos entre os camiões e conseguem ainda ocupar posições cimeiras na tabela de classificação geral auto/camião. Por seu turno, Elisabete Jacinto conta, neste momento, com uma vantagem de 45 minutos para Miklos Kovacs, que, aos comandos de um Scania, ocupa o quarto posto da categoria.

A etapa desta quarta-feira leva a caravana do Africa Eco Race até Chinguetti, onde terá início a oitava especial do rali. Nesta jornada, que liga aquela cidade a Amati, serã disputados 377 quilómetros ao cronómetro em pisos muito variados. A etapa inicia-se com a descida do Oued Chinguetti e depois será feita uma passagem de montanha. Logo de seguida, os pilotos entram numa zona estreita e muito pedregosa que requer atenção redobrada. Para o final da especial fica reservada a travessia de uma grande secção de dunas. O dia terminará não muito longe de Atar.

Pin It