Nacional de Motocross arrancou com 55 pilotosA edição de 2016 do Campeonato Nacional de Motocross arrancou, no passado domingo, em Freixo de Espada à Cinta, com um total de 55 pilotos presentes na ronda inaugural da competição .

Divididos entre as quatro categorias presentes, o maior número de atletas ficou reservado à classe MX2, na qual participaram 27 atletas. 12 jovens pilotos estiveram no arranque de época dos Infantis B e um total de 16 alinharam à partida da ronda de abertura do Nacional de MX1.

O dia ficou marcado pela chuva que se fez sentir na fase inicial da jornada e que deixou a pista bastante pesada e mais complicada para os pilotos, sendo que na derradeira corrida do dia, reservada à Elite, o traçado estava já húmido e em melhores condições para a evolução dos pilotos.

Na categoria de Infantis B, o vencedor deste primeiro duelo da nova época foi Martim Espinho, que levou a melhor sobre os seus adversários em ambas as mangas realizadas, liderando a totalidade das sete voltas realizadas na primeira manga, repetindo depois o domínio na segunda corrida do dia aos 1800 metros do traçado. Sandro Lobo e Fábio Costa dividiram o segundo lugar em cada uma das mangas, com vantagem para Costa na primeira e depois Sandro Lobo na segunda corrida, sendo este o ocupante do degrau intermédio do pódio, por força da melhor posição face ao adversário na segunda corrida.

Entre os Juniores quem venceu foi Diogo Graça, que levou a melhor perante Sérgio Graça e Bruno Charrua. Graça foi igualmente o vencedor da primeira manga de MX2, liderando desde a segunda passagem pela linha de meta até à bandeira de xadrez, com Pedro Carvalho a ser o segundo na manga inicial, na frente de Sérgio Garcia.

Na segunda manga, Pedro Carvalho acabou por levar a melhor perante os seus adversários e, ao conseguir a vitória na frente de Sérgio Garcia e Luís Oliveira, garantiu os pontos necessários para ser o vencedor desta ronda inicial do campeonato.

Na classe maior, Sandro Peixe, em estreia aos comandos de uma máquina de cilindrada maior depois do título de MX2 em 2015, conseguiu o triunfo no final da primeira corrida. Hugo Basaúla, o campeão em título, foi segundo classificado depois de um problema com a roda traseira que o levou a perder posições e a trabalho árduo para subir a segundo, apenas a duas voltas do final, ficando a terceira posição nas mãos de Miguel Gaboleiro.

Na segunda manga, com o piso já em melhores condições, Basaúla rodou durante bastante tempo em segundo, atrás de Sandro Peixe, mas, perto do final, à 12.ª passagem pela linha de meta,  passou para a liderança e acabou por vencer a corrida na frente de Sandro Peixe e Miguel Gaboleiro, este novamente na terceira posição. Esta vitória na derradeira corrida valeu ainda a primeira posição na Elite para o campeão nacional.

Foi assim um arranque de campeonato exigente para todos os pilotos, que encontraram uma pista muito complicada devido à chuva. Os líderes do Nacional de Motocross terão agora que se defender da concorrência já no próximo fim-de-semana, mais propriamente no Domingo de Páscoa, na pista de Casais de São Quintino, o cenário da segunda etapa do calendário da competição.

Classificação final
 
Infantis B
1º Martim Espinho – KTM com 50 pontos; 2º Sandro Lobo – KTM, 42; 3º Fábio Costa – KTM, 42; 4º Igor Amorim – KTM, 36; 5º Rúben Ribeiro – KTM, 30

MX2 Júnior
1º Diogo Graça – Husqvarna; 2º Sérgio Graça – KTM; 3º Bruno Charrua – Yamaha; 4º André Sérgio – Yamaha; 5º João Oliveira – Yamaha

MX2
1º Pedro Carvallho – Yamaha com 47 pontos; 2º Diogo Graça – Husqvarna, 43; 3º Sérgio Garcia – KTM, 42; 4º Luis Oliveira – Yamaha, 36; 5º Jorge Leite – Honda, 34

MX1
1º Hugo Basaúla – Kawasaki com 47 pontos; 2º Sandro Peixe – Honda, 47; 3º Miguel Gaboleiro – Suzuki, 40; 4º Jonathan Rodriguez – Suzuki, 34; 5º Rui Rodrigues – Yamaha, 34

Elite
1º Hugo Basaúla – Kawasaki com 19 voltas; 2º Sandro Peixe – Honda a 02.286s; 3º Miguel Gaboleiro – Suzuki a 1m07.012s; 4º Pedro Carvalho – Yamaha a 1m18.606s; 5º Sérgio Garcia – KTM a 1m24.526s

Pin It