Miguel Oliveira opta por rejeitar operaçãoO piloto português Miguel Oliveira optou por não ser sujeito a qualquer operação, apesar de ter fracturado dois dedos da mão direita na sequência de uma queda durante os testes para o Campeonato do Mundo de Moto2 efectuados com a sua nova equipa em Espanha.

Após a queda sofrida à entrada para a curva Angel Nieto, a nonado circuito de Jerez de La Frontera, que ditou o fim do último dia de treinos privados de pré-temporada e uma fractura no quarto e no quinto dedo da mão direita, Miguel Oliveira analisou com o seu médico pessoal e especialista, Gonçalo Morais Sarmento, a gravidade da lesão sofrida e optou por não realizar qualquer intervenção cirúrgica.

Conforme havia sido diagnosticado inicialmente nas instalações do centro médico do circuito andaluz, o piloto de Almada fracturou o quarto e o quinto dedo da mão direita depois de uma queda nos testes privados da Leopard Racing. Apesar da recuperação mais adequada passar por uma intervenção cirúrgica, o piloto luso considera que a mesma neste momento não deve ser realizada.

“Ponderei a intervenção cirúrgica mas não estou disposto avançar por agora. A questão prende-se na perda de mobilidade da ponta do dedo, sobretudo na extensão, e por isso não considero grave. Penso que não é algo que me possa prejudicar no futuro, quando tiver de exercer medicina dentária nem para guiar a moto, por isso estou tranquilo. Tenho-me preparado fisicamente para estar apto para este novo desafio e não vou deixar que este pequeno percalço me impeça”, afirmou Miguel Oliveira, à saída da consulta com o médico especialista.

Os testes oficiais IRTA estão agendados para os primeiros dias de Março e irão ter lugar no mesmo traçado da Andaluzia, onde o motard português irá marcar presença.

Miguel Oliveira opta por rejeitar operação

Pin It