Miguel Oliveira acredita no título mundialO piloto português Miguel Oliveira (KTM) admitiu, esta terça-feira, que ainda acredita que é possível conquistar o título mundial de Moto3 na presente temporada , apesar da lesão sofrida nos treinos para o Grande Prémio da Alemanha, que o impediu de competir na prova germânica.

"As minhas perspectivas para o resto da época são continuar a lutar por vitórias e estar no pódio, sem cair. Até ser matematicamente possível, vou acreditar que é possível ser campeão do mundo, apenas quando não for é que me vou concentrar em obter a melhor classificação possível no campeonato", afirmou o jovem piloto luso da Red Bull KTM Ajo, num encontro com jornalistas em Almada, de onde Oliveira é natural.

Depois de ter sido operado a uma fractura no quarto metacarpo da mão esquerda, devido à queda em Sachsenring, Miguel Oliveira está neste momento a recuperar, esperando estar em condições de disputar o Grande Prémio de Indianápolis, nos Estados Unidos da América, que se vai disputar no próximo dia 9 de Agosto.

"O tempo previsto de recuperação é de duas semanas e tem que ser, pois daqui a cerca de 20 dias estou a viajar para os Estados Unidos. Na operação, colocaram uma placa maior, com sete parafusos, para conseguir aguentar a pressão", referiu o motard lusitano.

Miguel Oliveira explicou que a queda na pista alemã foi simples, mas que teve o "azar" de ficar com a mão presa no guiador, o que lhe causou a fractura. Ainda assim, garante que continua com a ambição de lutar por vitórias no que resta da época.

"Na Alemanha, se tivesse corrido, um pódio era possível e podia estar no segundo lugar do Mundial. O balanço é muito positivo, ganhei duas das três últimas corridas e estive sempre na luta por pódios e vitórias. Tinha sido uma temporada fantástica até à lesão", salientou Miguel Oliveira, que ocupa actualmente o terceiro lugar do campeonato, com 102 pontos, enquanto o britânico Danny Kent lidera, com 190, e é seguido pelo italiano Enea Bastianini, que soma 124.

Abordando o futuro, o piloto português voltou a expressar o desejo de dar o salto para a categoria intermédia do Mundial, o Moto2, já na próxima temporada: "Se tudo correr como planeado, em 2016 não irei repetir o Moto3 e irei passar à categoria intermédia. Temos falado com várias equipas e está tudo em aberto".

Pin It