Parente sobe ao pódio no Pirelli World ChallengeO piloto português Álvaro Parente voltou, no fim-de-semana, a estar em plano de destaque no Pirelli World Challenge, garantindo o segundo posto na primeira corrida da ronda de St. Petersburg, nos Estados Unidos da América, mas acabando por ser ver forçado a abandonar a segunda corrida.

Na corrida de sábado, Parente arrancou da segunda posição da grelha de partida e, embora tenha sido bastante acossado pelo terceiro classificado, manteve a vice-liderança, com o comandante debaixo do seu olhar.

Ao longo da primeira parte da prova, que abriu a segunda etapa daquele que é considerado o Campeonato Americano de Carros de GT, o piloto luso pressionou o primeiro classificado, mas os pneus do seu carro acabaram por se ressentir e obrigaram-no a reduzir o andamento. Apesar da contrariedade, o piloto oficial da McLaren GT geriu bem o ritmo, assegurando o segundo posto num circuito que desconhecia por completo e conquistou o seu primeiro pódio no Pirelli World Challenge.

“O carro estava muito bom durante as primeiras 10 voltas. Parecia que poderíamos pressionar o primeiro e tentar a ultrapassagem, mas, do meio da corrida para a frente, sentimos muita degradação nos pneus e não consegui manter o ritmo do líder. Concentrei-me em ser o mais rápido possível sem cometer erros. Este circuito é muito difícil. O segundo lugar é um excelente resultado e estamos muito satisfeitos com este pódio”, comentou Álvaro Parente.

Parente sobe ao pódio no Pirelli World Challenge

Dia difícil para Parente no domingo

A segunda corrida da ronda de St. Petersburg do Pirelli World Challenge não teve o melhor desfecho para Álvaro Parente, que teve de abandonat depois de diversas contrariedades de que foi alvo ao longo de toda a corrida.

Depois do pódio na prova sábado, o português voltou a arrancar da segunda posição da grelha de partida, o que lhe abria excelentes perspectivas para mais um bom resultado, mas cedo se percebeu que Parente teria que se aplicar ainda mais para garantir um bom resultado, uma vez que, logo no arranque, a falta de potência do McLaren 650S provocada pelo BoP deixou-o à mercê da maior velocidade de ponta de um dos seus adversários.

Ainda assim, e muito embora estivesse ainda no início da prova, um lugar no pódio parecia ser possível, apesar das fortes ameaças que circulavam no encalço do McLaren 650S número 9 da K-Pax Racing. Contudo, a prova teria que ser alvo da intervenção do “safety-car”, o que deixou Álvaro Parente sob mira de carros cujos BoP lhe permitiam desenvolver maior potência e, para contrariar ainda mais as suas aspirações, quando se deu reinício da corrida começou a sentir dificuldades técnicas.

O piloto luso tudo tentou para manter a sua posição, mas foi impotente para se defender dos ataques dos seus perseguidores, caindo para o sexto posto. Com sérias dificuldades para manter o ritmo, Parente foi lutando para conseguir salvar o sexto lugar, mas, a poucas voltas do fim, foi prejudicado por um retardatário na última curva do traçado, ficando exposto ao piloto que circulava na sua esteira, que o ultrapassou em plena recta da meta. Na travagem para a primeira curva, acabou por ser tocado por um adversário, que o lançou para um pião e para o abandono nas boxes.

Parente sobe ao pódio no Pirelli World Challenge

“Foi um dia difícil, sabíamos que teríamos dificuldades no arranque, como se tem verificado ao longo de todas as corridas da época, e perdi um lugar, mas ainda assim mantive o terceiro posto e um lugar no pódio parecia possível. Mas depois, entrou o safety-car e tudo se tornou mais complicado. Para além disso, comecei a sentir que a potência do motor não estava a passar para as rodas e no recomeço foi impossível manter a posição. A partir daí foi um esforço enorme para manter um ritmo competitivo e acabei por ser tocado por trás. O abandono era inevitável”, afirmou Álvaro Parente.

Apesar de um dia de grandes dificuldades, Parente sai de St. Petersburg com o seu primeiro pódio no Pirelli World Challenge e com a certeza de que está entre os protagonistas do plantel da competição.

“Foi um dia complicado, com muitas contrariedades, e acabámos por abandonar. Porém, mostramos um excelente ritmo e capacidade para lutar pelos primeiros lugares e isso é muito importante. Ao longo de uma temporada, todos os concorrentes têm dias menos bons, desta vez calhou-nos a nós. Agora, temos que trabalhar para continuar a mostrar o andamento competitivo que temos vindo a evidenciar e poder alcançar bons resultados em Long Beach, dentro de pouco mais de um mês”, apontou o piloto oficial da McLaren GT.

Álvaro Parente vai voltar à acção entre os próximos dias 8 e 10 de Abril para disputar a prova de abertura do Blancpain GT Series/Sprint Cup, que terá como pano de fundo o circuito de Misano, em Itália, enquanto a etapa seguinte do Pirelli World Challenge será disputada em Long Beach, nos Estados Unidos, entre 15 e 17 de Abril.

Pin It