SLoeb-Marrocos501Ao volante do Peugeot 2008 DKR15+, a dupla Sébastien Loeb/Daniel Elena alcançou o final do seu primeiro rallye-raid, uma estreia que visou a melhor preparação para o Dakar 2016 , propósito que presidiu também à presença no Rallye de Marrocos de Carlos Sains com o novo modelo, o Peugeot 2008 DKR16, carro que acumulou muitos quilómetros em ambiente rigoso de competição o que permitiu ao Team Peugeot Total continuar a sua preparação para o mítico Dakar.

Após o abandono do Peugeot 2008 DKR16 de Carlos Sainz e Lucas Cruz, na tarde desta sexta-feira, Sébastien Loeb foi o único piloto da equipa a partir para a última etapa do Rallye de Marrocos. Os seus 236 quilómetros cronometrados apresentavam inúmeras dificuldades, sobretudo em termos de navegação. Partindo em terceiro para a etapa, Loeb e Elena completaram as suas aventuras marroquinas com um furo e uma sessão de "jardinagem",  encerrando assim a primeira fase da sua iniciação no mundo dos rallye-raids.

Estes vastos quilómetros percorridos significaram, também, uma preciosa contribuição para a preparação do Team Peugeot Total para o Dakar 2016. Um processo que irá prosseguir, entretanto, já a partir da próxima semana de uma forma intensiva, estando previstos oito dias de testes em Erfoud (Marrocos) com o Peugeot 2008 DKR16, ao volante do qual as quatro equipas do "Dream Team" se dividirão, a fim de continuarem o seu desenvolvimento.

A propósito desta presença em Marrocos, Bruno Famin, director da  Peugeot Sport, falou num "balanço é positivo" justificando que a viagem da equipa a Marrocos teve o objectivo de "percorrer o máximo de quilómetros". "Não conseguimos totalmente o nosso objectivo, pois o Peugeot 2008 DKR16 teve que abandonar a um dia do fim mas, apesar disso, existem numerosos pontos positivos, como o nível de performance do novo carro", justificou.

SLoeb-Marrocos502

"Vencemos duas etapas e estávamos na frente do rali quando isso aconteceu. Foi positivo também ao nível da fiabilidade, mesmo se ainda existem alguns problemas a resolver. Esse era um dos objectivos: identificar esses problemas em condições de corrida. No outro carro, a ideia era que a dupla Sébastien Loeb/Daniel Elena acumulasse experiência. E eles conseguiram-no, mesmo se lhes faltaram algumas dezenas de quilómetros. Ficaram a conhecer várias armadilhas, condições de estrada muito variadas e uma navegação complicada... Penso que a densidade da formação que eles tiveram nestes últimos cinco dias foi ao mesmo tempo elevada e eficaz", concluiu.

Já Sébastien Loeb, que participou nesta prova marroquina aos comandos do Peugeot 2008 DKR15+, tendo sido 13º na etapa com mais 12m11s do que o vencedor, o sul-africano Giniel de Villiers em Toyota Hi-Lux, afinou pelo mesmo diapasão de Bruno Famim ao falar de um "balanço muito positivo". "Divertimo-nos bastante e ao nível das performances vimos que podemos estar no bom ritmo, nas pistas rolantes, onde a condução é muito importante. Quando chegámos às dunas ou às pistas com muita vegetação,  é preciso termos um pouco mais de cuidado, pois ainda são complicadas para nós. Quando há pistas escondidas ainda temos um pouco de dificuldade em encontrá-las. Em todo o caso, esta experiência permitiu-nos identificar os nossos pontos fortes e os nossos pontos fracos, pelo que sabemos agora em que direção trabalhar."

 

Pin It