Peterhansel amplia recorde de triunfos no DakarO francês Stéphane Peterhansel (Peugeot) ampliou, este sábado, para 12 o recorde de vitórias no Rali Dakar, reforçando assim o seu estatuto de maior referência da mítica prova de todo-o-terreno.

Aos 50 anos de idade, Peterhansel equilibrou as contas dos triunfos em termos de categorias, uma vez que se impôs pela sexta vez na categoria de automóveis (2004, 2005, 2007, 2012, 2013 e 2016), depois de já ter triunfado nas motos pelo mesmo número de vezes (1991, 1992, 1993, 1995, 1997 e 1998).

À chegada a Rosário, na Argentina, Stéphane Peterhansel restabeleceu o recorde de êxitos no evento e proporcionou à Peugeot a conquista do primeiro título desde 1990, um ano depois de a marca francesa ter regressado à prova, após 25 anos de ausência.

“É extraordinário. Havia muita pressão, mas agora está feito. Foi um grande alívio cruzar a linha de meta. As últimas três etapas foram muito desgastantes. Também estamos muito contentes por termos escrito uma página na história da Peugeot”, comentou Peterhansel.

O ”astro” francês terminou com 34 minutos e 58 segundos de vantagem face a Nasser Al-Attiyah (Mini), do Qatar, vencedor em 2015, e 1h02m47s em relação ao sul-africano Giniel de Villiers (Toyota), após os 180 quilómetros cronometrados da 13.ª e última etapa, entre Villa Carlos Paz e Rosário, que foi ganha pelo francês Sébastien Loeb (Peugeot), nono posicionado na geral na sua estreia no Rali Dakar.

Peterhansel amplia recorde de triunfos no Dakar

“Sempre sonhei conquistar a vitória com um construtor francês. Esta vitória vai figurar no meu «top 3» pessoal. O último grande desafio da minha carreira era obter o mesmo número de triunfos em carros que tinha alcançado em motos. Já está”, sublinhou Peterhansel.

Na derradeira espetical, Loeb bateu por 1m13s o finlandês Mikko Hirvonen (Mini), antigo rival do francês no Campeonato do Mundo de Ralis (WRC), e Al-Attiyah por 1m36s.

Em quads, o argentino Marcos Patronelli (Yamaha) foi o grande vencedor do Dakar 2016, enquanto na categoria de camiões foi o trio constituído pelo holandês Gerard de Rooy, o espanhol Moises Torrallardona e o polaco Darek Roewald a festejar o triunfo final.

Pin It