Hélder Rodrigues O piloto português Hélder Rodrigues (Yamaha) terminou, este sábado, na quinta posição da classificação geral das motos a edição de 2016 do Rali Dakar , que foi ganha pelo australiano Toby Price (KTM). Na derradeira especial, o motard luso foi o terceiro mais rápido.

Price tornou-se assim o primeiro australiano a vencer o Dakar, enquanto Rodrigues foi o melhor representante português este ano, ao terminar no quinto posto, a 55 minutos e 44 segundos do australiano.

“Estou muito feliz por ter cortado a meta neste meu 10.º Dakar. A partida de hoje [sábado], dada pela classificação invertida, tornou mais difícil atacar para tentar conquistar uma posição. O pó levantado pelos concorrentes que partiam à minha frente tornaram a especial perigosa. Esse desafio implicava correr riscos e este «top» satisfaz-me, tendo em conta que estive doente na primeira semana do rali” comentou Hélder Rodrigues.

“Foi um Dakar muito duro, mas fizemos um excelente trabalho com a Yamaha. Quero aproveitar para lembrar os meus colegas de equipa Alessandro Botturi e Xavier De Soultrait, que, infelizmente, foram forçados a abandonar uns dias antes de a prova terminar. Com eles e com o Adrien Van Beveren, trabalhámos bem em conjunto e partilhámos bons momentos. Obrigado, Yamaha”, acrescentou o piloto luso da equipa oficial da Yamaha em Rosário, na Argentina.

Rodrigues concluiu a 13.ª tirada no terceiro lugar, a 2m37s do vencedor, o chileno Pablo Quintanilla (Husqvarna), que terminou a mítica prova de todo-o-terreno na última posição do pódio, imediatamente atrás do eslovaco Stefan Svitko, que contribuiu para a “dobradinha” da KTM.

Mário Patrão

“Ser o primeiro australiano a vencer o Dakar é uma loucura. Ainda estou em choque, pois nunca pensei que poderia ganhar esta corrida na minha segunda participação. Isto é incrível: para a minha família, os meus amigos e os meus admiradores na Austrália”, afirmou Toby Price, de 28 anos.

Após o inglório abandono de Paulo Gonçalves, que liderou a prova durante quatro dias, em consequência de uma queda na 11.ª etapa, que o levou ao hospital, Hélder Rodrigues assumiu-se como o melhor representante português à chegada a Rosário e o único presente entre os 10 primeiros classificados.

Por seu turno, Mário Patrão (KTM) foi 13.º posicionado da geral e venceu a classe Maratona, na qual não é permitido modificar os elementos originais da moto ao longo da prova, a 4h14m32s de Price.

O outro “motard” lusitano que conseguiu terminar o Rali Dakar 2016, que ficou também marcado pelo abandono de Ruben Faria (Husqvarna), foi Pedro Bianchi Prata (Honda), 68.º classificado, a 22h28m35s do vencedor.

Hélder Rodrigues

Pin It