Paulo Gonçalves recebe alta médicaO piloto português Paulo Gonçalves (Honda) já recebeu alta médica, depois de, esta quinta-feira, ter sido hospitalizado e diagnosticado com um traumatismo craniano moderado , na sequência de uma aparatosa queda durante a 11.ª etapa da edição de 2016 do Rali Dakar, entre La Rioja e San Juan, na Argentina, durante a qual foi encontrado inconsciente e transportado de helicóptero para um hospital local.

“Já tive alta médica e já estou de volta ao Bivouac junto com a equipa HRC - Honda Racing Corporation. Ainda me sinto um pouco tonto, mas nada que uns bons dias de repouso não resolvam”, afirmou Paulo Gonçalves, agradecendo todas as mensagens de apoio recebidas.

O Dakar 2016 terminou assim da pior forma para Paulo “Speedy” Gonçalves, que no dia anterior tinha visto ser-lhe acrescida uma forte penalização devido às circunstâncias da nona especial, em que esteve praticamente fora de prova devido a uma avaria mecânica, mas conseguiu recuperar a sua moto. Esta quinta-feira, O “motard luso” saiu para a estrada no quarto lugar, mas viria a sofrer uma queda pouco depois do segundo ponto de passagem da tirada. Gonçalves ainda procurou seguir em prova, mas acabou por perder a consciência, tendo sido assistido no local por uma equipa médica e seguidamente levado para o hospital mais próximo.

Paulo Gonçalves recuperou a consciência e apresentava fortes dores de cabeça na chegada ao hospital, onde foi observado pela equipa médica, que acabou por lhe diagnosticar um traumatismo craniano moderado.

“Terminei da pior forma este Dakar 2016, ao que parece tive uma queda forte, a verdade é que não me recordo do que se passou, disseram-me que consegui seguir com a mota até uma zona de público e ambulâncias. É um Dakar que termina da pior maneira, é lamentável para mim, para a equipa, merecíamos muito mais. Mas a competição é assim, algo não estava a ir bem nos últimos dias, termino da pior maneira mas é preciso seguir em frente e em breve voltaremos a competir”, comentou Paulo Gonçalves.

Apesar da inglória despedida da prova, Gonçalves já pensa na próxima edição do Rali Dakar: “Vamos voltar em 2017, mais fortes que nunca e prontos para vencer. O sonho não acaba aqui”.

Pin It