Nos dias que correm, quando vai comprar carro a sua escolha oscila entre os SUV e os SUV, com uns crossover pelo meio e mais SUV de tamanho generoso e preço a condizer. Nadar neste mar de ofertas é difícil e encontrar o carro certo mais difícil é, e por isso mesmo eu e o LusoMotores aqui estamos para o ajudar. 

E aqui, não tenho problema nenhum dizer, a Peugeot fez “strike” ao lançar para o mercado um carro como o 2008. Nada que nos espante, pois, o aviso tinha sido dado com o 3008 e o 5008. Agora, refinaram a ideia e o conceito e “vestiram-no” com fato a preceito!

Pode até não parecer, mas o 2008 cresceu e deixou, claramente, de ser pequeno, ganhando 15 cm face ao anterior modelo, caindo nos 4,3 metros de comprimento. Com 1987 mm de largura, 1550 mm de altura, tem 2605 mm entre eixos, a segunda geração coloca-se próximo dos carros convencionais do segmento C como, por exemplo, o VW Golf. Ou seja, claramente quer deixar-lhe a dúvida: um Golf tradicional ou o giríssimo 2008 que ainda por cima é um SUV? Sem surpresa, o 2008 tem a mesma plataforma do 208, a CMP (Compact Modular Plarform) que serve os carros da Citroen, DS, Opel.

A outra vantagem - que os restantes já descobriram e começam a imitar – reside na enorme flexibilidade de escolha. Quando for encomendar o seu 2008 pode optar por um carro diesel, gasolina ou elétrico! Ou seja, pode escolher a motorização que entender mantendo, sempre, o mesmo manto.

E o estilo do 2008 é, mesmo, a mais evidente vantagem deste Peugeot. Herdou muito daquilo que a casa de Sochaux fez no 208: os “dentes de leão” na frente, as garras nos farolins traseiros e a forma musculada a formar um conjunto muito bonito que tem grande presença na estrada.

Fotos: JR

Posição de condução e muito espaço

O interior segue os passos do 208, oferecendo, entre outras coisas, o i-Cockpit 3D, uma posição de condução subordinada ao pequeno volante colocado mais baixo que o habitual – mas que para quem gosta de conduzir com “rabo no chão” é excelente, mesmo que não consiga ver tudo do painel de instrumento… adoro! – bancos confortáveis e espaço, muito espaço. Acredite que mesmo que seja grande (eu não sou pequeno, mas há maiores!) e recue muito o banco do condutor ou do passageiro, o espaço atrás para arrumar as pernas é excelente. E, note-se, sem prejudicar a bagageira que tem 434 litros (abaixo da chapeleira), 545 litros (até ao tejadilho), 1015 litros (bancos rebatidos até à altura dos vidros) e 1467 litros (bancos rebatidos e até ao tejadilho). Wow!

Os acabamentos são excelentes, a qualidade dos materiais também, com uma montagem cuidada que junto com uma boa insonorização, tornam o interior do 2008 um local aprazível para estar. Claro que há uma ou duas coisinhas que merecem algumas linhas. 

Primeiro, a insistência em usar a tecnologia da TomTom para o sistema de navegação: é um sistema que não é rápido e algumas vezes “despista-se” quando andamos em locais cartograficamente mais complicados ou seguimos um nadinha depressa. Depois, o ecrã flutuante acaba por ficar deslocado devido à sua “simplicidade” face ao futurista i-Cockpit 3D. Já o “piano” colocado por baixo e que mistura botões reais com botões virtuais, sensíveis ao toque, é do melhor efeito e apesar de requerer alguma habituação – amiudes vezes carregava no botão real quando queria tocar no virtual – rima bem com o resto do habitáculo. 

JR

Comportamento pleno de conforto

O Peugeot 2008 surpreendeu pela positiva no que toca ao comportamento. A direção, leve numa primeira abordagem, ganha peso com a velocidade ou quando o carro está a curvar, mas tudo feito de forma natural sem que o volante fique, de repente, muito pesado. As jantes de 17 polegadas, não influiram, minimamente, no refinamento com que encara buracos ou as raízes de árvores e com um conforto mais que suficiente.

A Peugeot não quis, deliberadamente, endurecer as suspensões para controlar os inevitáveis movimentos da carroçaria mais alta que a do 208, por exemplo. Por isso, sem surpresa, o 2008 inclina-se um pouco nas curvas, principalmente se o ritmo for mais elevado e os limites acabam por surgir, mesmo que a frente tenha um bom nível de aderência. Apesar disso, abusando, a frente cede e a saída de frente é inevitável. Questão de nos lembrar que o 2008 não é um SUV desportivo... é um SUV, ou seja, capaz de andar depressa e de ser interessante em estradas mais sinuosas, mas sempre com uma boa margem para evitar surpresas.

Mecanicamente… simples. Esta minha afirmação deve ser lida de maneira positiva: o 2008 é um crossover, mas como é moda no segmento compacto, não tem tração integral, pois ninguém a quer. A plataforma CMP tem o motor na frente, por isso digo que é um carro mecanicamente simples. O bloco diesel 1.5 BlueHDi é conhecido pela suavidade e pelo ruído moderado.

JR

Giro, competente, espaçoso e... mais ainda

POSITIVO...

Estilo
Qualidade
Opções de propulsão
Habitabilidade

...OU NEM POR ISSO

Opcionais
Preços
Posição de condução

No que toca a consumos, a Peugeot reclama 4,2 l/100 km, mas isso... é impossível! Primeiro, pelo constante desfio para puxar mais e mais pelo motor e se dermos rédea solta ao pé direito, o computador de bordo franze as sobrancelhas e desata a correr. Média acima dos 6 litros são normais. Mas quando regressamos a um registo mais normal e com alguma tranquilidade ao volante, somos premiados com valores de 4,9 a 5,2 l/100, tendo a média final do ensaio ficado nos 5,2 l/100 km. Ou seja, apenas 1 litro mais que o anunciado o que, para mim, é um excelente registo.

A Peugeot ousou na forma e no conteúdo e o 2008 é um excelente contributo para o segmento e não me custa dizer que se atira para o topo dos SUV compactos. Giro, competente, espaçoso e, mecanicamente, bem servido, o 2008 diesel continua a ser uma boa aposta, embora a versão elétrica faça levantar um ou outro sobrolho. Enfim, é um carro desejável e que recomendo sem a menor reserva.

JR

FICHA TÉCNICA
Motor

Tipo: 4 cilindros, injeção direta com turbo 
Cilindrada (cm3): 1499
Diâmetro x Curso (mm): nd
Taxa de Compressão: nd
Potência máxima (CV/rpm): 100/3500
Binário máximo (Nm/rpm): 250/1750

Transmissão Tração dianteira, caixa automática de 8 velocidades
Direcção Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr)

Independente McPherson/eixo de torção

Travões (fr/tr)

Discos

Prestações e consumos

Aceleração... 0-100 km/h (s)

11,4

Velocidade máxima (km/h): 180
Consumos extra-urb./urbano/misto (kWh/100 km): -- / -- / 3,6
Emissões CO2 (gr/km): 97
Dimensões e pesos
Comprimento/Largura/Altura (mm): 4300 / 1770 / 1550
Distância entre eixos (mm): 2605

Largura de vias (fr/tr mm):

1540 / 1540

Peso (kg):

1205

Capacidade da bagageira (l):

405 / 1467
Deposito de combustível (l): 41
Pneus (fr/tr): 215/60 R17

Preço da versão base (Euros):

29.520

Preço da versão Ensaiada (Euros):

29.520

José Manuel Costa/LusoMotores

Pin It