Já circula pelas nossas estradas a versão mais recente do Toyota Yaris na sua versão híbrida, um automóvel que o LusoMotores teve oportunidade de testar e que deixou uma excelente impressão, um carro pequeno em tamanho, será certo, mas com um espaço interior assinalável, um comportamento dinâmico irrepreensível e um pacote de tecnologia particularmente completo, mais ainda tendo em conta o segmento e as ofertas que propõe.

O primeiro contacto com esta proposta da Toyota tinha acontecido numa apresentação virtual, utilizando a plataforma agora cada vez mais consensual Zoom, num evento em que tinha já ficado a convicção de ser o Yaris uma proposta com tudo para triunfar. Agora, num contacto directo e durante alguns dias, ficou a confirmação dessa ideia perante um automóvel que deixou claro ser possuidor de todas as características para se tornar um campeão de vendas, e nomeadamente nesta variante híbrida, mesmo contra as normas do Orçamento de Estado recentemente aprovadas no Parlamento.

Claramente citadino, o novo Toyota Yaris Hybrid consegue ainda assim atirar-se à estrada com atitude desportiva em percursos menos urbanos com vontade e carácter próprios. Ainda assim, é mesmo em cidade que se destaca este modelo dotado de um design sem dúvida atraente, para o qual contribui a pintura em dois tons da carroçaria e as jantes de 17 polegadas. Ao volante, e antes mesmo de ajustarmos a posição de condução facilmente acessível, encontramos um pacote tecnológico de equipamento particularmente completo como Head-Up Display que vai dando conta da informação que realmente interessa sem que tenhamos que desviar a atenção da via, mas também o carregamento do telemóvel por indução e todas as soluções de conectividade hoje indispensáveis em qualquer habitáculo automóvel.

O espaço no habitáculo é agradável e apenas no banco traseiro será complicado viajar quem tiver mais de 1m80, nomeadamente se à frente o condutor e o pendura tiverem igual estatura. Afinal, o Toyota Yaris continua a ser um modelo citadino do segmento B ainda que em algumas questões ultrapasse a oferta tida como “normal” entre os seus pares.

Dinamicamente sedutor

Activada a ignição, com o silêncio permitido pela componente eléctrica do propulsor híbrido, a movimentação deste Toyota Yaris Hybrid assente sobre a plataforma GA-B, em estreia no construtor nipónico, revela-se eficiente e para além de capaz, fruto de uma plataforma central que permite para o Yaris um centro de gravidade mais baixo e uma maior rigidez torsional. Rodar com a garantia de um modelo tecnologicamente avançado que permite consumos menores e emissões mais baixas deixa-nos mais tranquilos quanto à pegada que deixamos no meio-ambiente, algo que deve importar a todos e que é cada vez mais importante para a indústria automóvel.

Diga-se, porque não será demais destacar, que a componente eléctrica deste novo Yaris permite que o mesmo se apresente sempre “despachado”, nomeadamente no trânsito citadino onde as dimensões do Yaris lhe permitem uma agilidade assinalável.

É claro que não há bela sem senão, e aqui também há um ou outro. Para além do já referido menor espaço para quem viaja no banco traseiro nomeadamente se esses passageiros forem de estatura mais elevada, a necessidade premente de motor em acelerações mais inesperadas ou prolongadas resulta num ruído mais audível no habitáculo por parte do bloco de três cilindros de 1,5 litros de 116 CV.

POSITIVO...
Agilidade
Equipamento
Comportamento dinâmico e consumos

...OU NEM POR ISSO

Ruído do motor perante situações
de maior exigência sobre o motor

Ainda assim, este senão é esquecido por aqueles que circulam predominantemente em ambiente urbano, até porque o novo Yaris usa a evolução mais recente da motorização eletrificada com o sistema full-hybrid de quarta geração da Toyota, proporcionando ao Yaris uma melhor economia de combustível, emissões mais baixas e uma capacidade muito superior de circular somente com energia elétrica, a velocidades mais elevadas e maiores distâncias.

Em viagens urbanas a Toyota reclama para o novo Yaris a capacidade de circular uma quantidade significativa do tempo em zero emissões, como um veículo 100% elétrico, mas sem preocupações com a recarga, resultando tudo isto num consumo prometido pelo construtor de 4,3 litros/100 Km. No ensaio para o LusoMotores rodámos em valores aproximados, completando algumas centenas de quilómetros com uma média na ordem dos 4,6 litros a cada centena de quilómetros, um valor sem dúvida inflacionado pelas diversas vezes em que rodámos em estrada aberta onde as médias conseguidas em circuito citadino foram particularmente prejudicadas.

E já que falamos no rodar em estrada, quando nessas situações foi preciso recorrer ao espaço da bagageira para transportar um ou outro volume, pudemos tirar partido dos 286 litros de volume que, sem ser referência para o segmento, permitiu-nos levar o que precisámos “dentro do bom senso” aconselhado.

Segurança um nível acima no segmento

Nota ainda para a sensação constante de segurança a bordo de um modelo automóvel também neste aspecto particularmente bem equipado como é a nova geração do Toyota Yaris, com uma gama maior de sistemas ativos do Toyota Safety Sense, incluindo Sistemas Avançados de Assistência ao condutor (ADAS – Advanced Driver Assistance Systems) como o Assistência de Condução Inteligente (LTA), Cruise Control Adaptativo (ACC), Reconhecimento de Sinais de Trânsito (RSA) e Sistema de Pré-Colisão (PCS). Sobre este último, aliás, a sua funcionalidade foi aumentada para que possa detetar peões de dia e noite e ciclistas durante o dia.

Refira-se que, com todos estes equipamentos e o benefício do aumento significativo da rigidez da carroçaria da plataforma GA-B, a Toyota pretende garantir que o novo Yaris seja o automóvel compacto mais seguro do mundo.

Veredicto final...

Sendo certo que a concorrência é cada vez maior neste segmento mesmo para modelos electrificados, ficou para o LusoMotores a convicção de ser este novo Toyota Yaris Hybrid um modelo com tudo para vencer: divertido de conduzir, pleno de eficácia e agilidade em cidade, capaz em estrada e com consumos e emissões reduzidas certamente a convencer o condutor mais exigente. A nós convenceu-nos!

FICHA TÉCNICA
Motor ...a gasolina Tipo: 3 cilindros em linha com injeção directa
Cilindrada (cm3): 1490
Diâmetro x Curso (mm): 80,5 x 97,6
Taxa de Compressão: 14,0:1
Potência máxima (CV/rpm): 116/n.d.
Binário máximo (Nm/rpm): 120/3600
...elétrico Tipo: síncrono de magneto permanente
Potência (kw): 59
Binário Máximo (Nm): 141
Bateria Híbrida   Tipo: iões de lítio
Voltagem nominal (V): 177,6
Capacidade (Ah): 4,3
Transmissão   Tipo CVT controlada eletronicamente
Direcção   Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr)

 

Independente tipo McPherson/barra de torção

Travões (fr/tr)

 

Discos ventilados/discos

Prestações e consumos

Aceleração
0-100 km/h (s)

 

9,7

Velocidade máxima (km/h):   175
Consumos combinado WLTP (l/100 km):   4,3
Emissões CO2 combinado WLTP (gr/km):   98
Dimensões e pesos
Comprimento/Largura/Altura (mm):   3940/1745/1500
Distância entre eixos (mm):   2560

Peso (kg):

  1085

Capacidade da bagageira (l):

  286
Deposito de combustível (l):   36
Pneus (fr/tr):   205/45 R17

Preço da versão base (Euros):

  19.190

Preço da versão Ensaiada (Euros):

  26.690

Jorge Reis/LusoMotores

Pin It