×

Mensagem

Failed loading XML...

Joerg Heinermann, responsável da Daimler para o desenvolvimento digital a nível global, falou para o LusoMotores e revista Consilcar Magazine a quem deu conta do que está a ser criado para marcas como a Mercedes ou a smart, quando mais do que automóveis estão em causa apps e software, uma conversa que recuperamos agora neste final de 2018 como uma das entrevistas que permanecem actuais entre as que foram feitas pelas equipas da LusoSaber no ano que agora finda.

Convidado como conferencista da edição de 2018 do World Shopper, onde falou sobre a tendência crescente do mercado automóvel nos veículos eléctricos, Joerg Heinermann é o responsável principal da Daimler a nível mundial pelo “CASE”, um projecto que define como algo que combina três tecnologias, nomeadamente “a electrificação dos veículos, a conectividade das viaturas e das pessoas através dos seus telemóveis e a condução autónoma que vai criar um novo mercado de serviços e mobilidade partilhada”, questões que, em conjunto, “deverão estabelecer mudanças na forma como utilizamos as soluções de mobilidade”.

Conhecedor do mercado automóvel português – Joerg Heinermann foi até há pouco tempo “country manager” da Daimler (Mercedes-Benz e smart) em Portugal – este alto quadro do construtor germânico agora a nível global lidera assim no caminho de mudança estabelecido na forma como as pessoas e os automóveis se relacionam.

A cultura e as pessoas em Portugal apaixonam Joerg Heinermann, ele que assume que nunca se sentiu tanto em casa quanto em Portugal, um país que está “seguramente preparado para receber o projecto CASE”. “Com os nossos colaboradores e com os nossos concessionários estamos a trabalhar nas diferentes áreas, nomeadamente na introdução dos veículos eléctricos, o primeiro passo para a implementação do CASE, e sim, o mercado português está muito aberto às novas tecnologias”, garante.

Joerg Heinermann 02

Joerg Heinermann 05

Perante o caminho que está a ser trilhado, pelo sector automóvel, a Daimler poderá deixar de ser um mero construtor automóvel para poder ser um provedor de serviços: “Sempre fomos um fornecedor de mobilidade ao colocar no mercado os nossos automóveis, camiões ou autocarros, e a mobilidade tem que ser pensada para o transporte de pessoas mas também para cargas – a Mercedes-Benz é uma marca naturalmente reconhecida na área de transportes e movimentação de logística. Procuramos agora permitir soluções de oferta de serviços, plataformas de comunicação entre diferentes meios de transporte, e tudo isto para facilitar mais ainda o transporte de pessoas e carga. Termos um furgão equipado com um drone e este poder entregar um embrulho, são soluções e áreas que combinamos para melhorar a vida das pessoas.”

Numa perspectiva global, para um indivíduo que viva em Lisboa e viaja para o estrangeiro, a Daimler pretende criar um serviço que permita que esse cliente tenha na chegada ao seu destino um veículo para responder às suas necessidades de mobilidade como se continuasse na sua cidade de origem: “Tal como tem um Mercedes-Benz aqui, poderá tê-lo igualmente nas suas viagens, do mesmo modo que poderá usar o serviço de táxi ou outros transportes ligados através da plataforma Mercedes Me, ou ainda utilizar um período de 200 minutos para utilização de automóveis de mobilidade partilhada nas cidades europeias para onde viaja.”

Joerg Heinermann 04

Joerg Heinermann 06

A chegada destas propostas a Portugal, segundo o nosso interlocutor, dependerá apenas do desenvolvimento das ofertas. “As diferentes soluções de mobilidade resultam de ofertas locais, mas, por exemplo, o serviço ‘MyTaxi’ é uma solução global e um cliente que hoje em dia tem um Mercedes aqui, pode fazer o download da app e utilizar o serviço MyTaxi em toda a Europa e na sua própria língua. Isso já existe, e pouco a pouco iremos permitindo mais serviços e mais ofertas nesse âmbito”, acrescenta Joerg Heinermann.

“Na realidade, isto é algo que depende das empresas no estabelecimento dos seus negócios. Nós, na Daimler, enquanto empresa, iremos oferecer mais e mais destes serviços, e no final tudo funcionará através da combinação por apps com a respectiva digitalização”, acrescenta este responsável da Daimler que olha para a realidade da área a que nos referimos de uma forma global, sem a afectar pela dimensão menor do mercado português: “A digitalização em geral tem uma certa vantagem, especialmente para Portugal, quando se estabelecem aqui centros de desenvolvimento de apps e software. Na Mercedes, criámos uma grande vantagem para Portugal quando a logística para a venda de produtos passa a ser digital. Por via disso, a distância a que estamos para o centro da Europa já não importa. Quando produzo uma viatura aqui e tenho que a transportar para França, Alemanha ou outro destino na Europa, isso tem um custo de transporte. Porém, quando produzo em Portugal uma app ou uma tecnologia digital, o seu transporte é feito através da internet, sem custo associado. A vantagem de Portugal está assim totalmente assente nessa área!”

©Jorge Reis/LusoMotores
(em Consilcar Magazine #03)

InstagramLM Botao 

Pin It