Kia-JoaoSeabra02No mercado interno, a Kia, naturalmente, sente a crise no sector automóvel, mas segundo o seu Director Geral, João Seabra, "tem a felicidade de estar na melhor fase de sempre da marca". A descer em 2012 cerca de 10 % no volume de vendas face ao mesmo período do ano passado, a Kia está, ainda assim, a conseguir uma melhor quota de mercado, o que poderá permitir melhores resultados no futuro, quando o mercado permitir melhores dias.

Ao longo da entrevista que João Seabra concedeu ao LusoMotores, e que temos vindo publicar esta semana, o Director Geral da Kia Portugal assumiu a consciência de que se está a atravessar, nomeadamente no mercado interno, "um período extraordinariamente difícil". Contudo, desta o facto da marca que lidera ter "a felicidade" de estar, neste momento, "na melhor fase de sempre" permite à Kia passar por este período com menos problemas do que a generalidade da concorrência".

{play}/images/stories/podcasts/Kia-JS-2012-02.mp3{/play}
Kia-JS-2012-Vox11
Kia-JS-2012-Vox12
Kia-JS-2012-Vox13
Kia-JS-2012-Vox14

Nos primeiros quatro meses deste ano, a Kia é uma das marcas que menos está a cair em volume de vendas relativamente ao mesmo período do ano passado - a Kia regista uma queda na ordem dos 10% face aos quase 50% que o mercado global das marcas em Portugal regista no mesmo período -, o que significa que a quota de mercado da marca coreana no mercado português em cerca 1%, de 1,7% para 2,7%. Para esta realidade, João Seabra aponta como "grande responsável" o carro que finalmente a marca possui para o segmento B do mercado, o Kia Rio, um carro que aponta como "ideal para um país com menos capacidade económica".

A verdade é que, apesar de estar a crescer em termos de quota de mercado, a Kia está a vender menos, ainda que não seja a marca mais afectada. Depois, e porque o mercado está assente em redes multimarcas, e porque há marcas em situação crítica de quebras de vendas, o futuro afigura-se negro, e João Seabra assume a sua preocupação. "Alguns operadores que estão no mercado não vão resistir, porque não é possível, e isto não é só no mercado automóvel", disse.

"O ano de 2012 vai ser difícil, e o ano de 2013 vai continuar a ser difícil", acrescentou este responsável, que aponta como problema a carga fiscal que existe"sobre as pessoas". "As pessoas e as empresas estão submersas em impostos e custos, e quando assim, é evidente que vão consumir menos", conclui.

Esta quinta-feira daremos conta do objectivo assumido por João Seabra para Kia, que pretende chegar ao "top-10 das marcas generalistas", mantendo ainda assim a sua rede de concessionários, salvo acertos pontuais: "Temos que consolidar quem acreditar em nós há mais tempo!"

A análise à rede de concessionários, e à forma como se lida com os clientes e com as suas eventuais insatisfações, ainda a motivação que leva alguns clientes e amigos da marca a criarem clubes de fãs ao jeito de uma marca já aspiracional, mas também o alinhamento dos produtos disponíveis para o mercado português, serão alguns dos temas em análise no próximo bloco editado a partir da entrevista para o LusoMotores com o Director Geral da Kia Portugal.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

A entrevista de João Seabra para o LusoMotores, aqui publicada num segundo de quatro blocos (o primeiro bloco foi publicado ontem, terça-feira, podendo ser acedido aqui nas notícias relacionadas), será publicada no próximo sábado em versão integral.
Pin It