Audi desenvolve e-dieselA Audi alargou a sua actividade ao desenvolvimento de combustíveis sintéticos neutros em emissões de CO2, sendo o seu projecto mais recente uma fábrica piloto em Dresden , inaugurada no final da semana passada, que produz gasóleo a partir de água, CO2 e electricidade verde. Neste projecto, a marca alemã conta com a parceria da Climeworks e da Sunfire.

Com esta cooperação, a Audi e os seus parceiros pretendem provar ser possível a industrialização de e-combustíveis. A fábrica piloto foi oficialmente inaugurada na passada sexta-feira na presença de Johanna Wanka, ministra alemã da Educação e Pesquisa, e de Hagen Seifert, director de Avaliação Ambiental, Energias Renováveis e Novos Materiais da Audi AG.

A fábrica Sunfire, que trabalha de acordo com o princípio “power-to-liquid”, recorre como matérias-primas ao dióxido de carbono, à água e à electricidade. O dióxido de carbono é extraído directamente do meio ambiente, capturando directamente o ar, uma tecnologia desenvolvida pelos parceiros suíços da Climeworks.

Num processo em separado, uma unidade de electrólise alimentada com electricidade verde decompõe a água em hidrogénio e oxigénio. O hidrogénio reage com o dióxido de carbono em dois processos químicos realizados a 220 graus Celsius e a uma pressão de 25 bar para produzir um líquido energético composto de hidrocarbonetos, denominado por “Blue Crude”. Este processo aumenta a eficiência até 70%.

A fábrica piloto pode produzir diariamente cerca de 160 litros de “Blue Crude”, podendo cerca de 80% ser convertido em gasóleo sintético. Este combustível é isento de enxofre e de aromáticos, contendo um número elevado de cetano, o que significa que se inflama com muita facilidade. As suas propriedades químicas permitem que seja misturado em qualquer proporção com diesel de origem fóssil, o que significa que pode ser utilizado como um combustível “drop-in”.

A Audi combina duas tecnologias inovadoras neste projecto, que é financiado em parte pelo Ministério Federal Alemão de Educação e Pesquisa e foi precedido por uma pesquisa e desenvolvimento de dois anos: do ar do meio ambiente é capturado CO2 e o processo “power to liquid” para a produção de combustíveis sintéticos.

As actividades da Audi no desenvolvimento de combustíveis neutros em CO2 iniciaram-se em 2009. A fábrica de e-gas da Audi em Werlte, na Baixa Saxónia, já produz metano sintético (Audi e-gas) de uma forma similar. Os condutores do Audi A3 Sportback g-tron podem abastecer usando um cartão de combustível especial. A marca germânica também está realizar uma pesquisa conjunta para a produção sintética da Audi e-gasolina com a empresa francesa Global Bioenergies e integra também um projecto conjunto com a empresa norte-americana Joule para produzir os combustíveis sintéticos Audi e-diesel e Audi e-etanol, com a ajuda de microrganismos.

Pin It