Honda SH 300iEstreita na largura e ligeira na imagem, a SH 300 i faz parte de uma tipologia de “scooters” que não deixam antever o que realmente concedem! Uma das surpresas está nas acelerações conseguidas, e mesmo nas reprises, esta Honda não deixa de revelar alguma aptência para o tráfego em estrada, em percursos acidentados e sinuosos. No entanto e se pensarmos em condução em estrada, a inexistência de uma protecção aerodinâmica faz-se sentir, e por isso a Honda propõe o pára-brisas como opcional.

Outra das agradáveis características de usufruir nesta 300, é a ciclística, tanto ao nível do quadro como em termos dinâmicos, mediante o desempenho dos travões de disco e suspensões cuja arquitectura é derivada das motos.

É também verdade que não gostámos muito da posição de condução, apesar de o espaço para os pés ser plano, e Honda SH 300iem função da largura da SH, torna-se fácil entrar e sair ou colocar o pé no chão quando paramos. No entanto, o espaço é (apenas) o suficiente para colocar os pés, ou seja não se podem esticar as pernas como noutras “scooter” como nas Silver Wing ou Forza da Honda ou X Evo da Piaggio.

Todavia e apesar da posição de condução tipo ‘banco de cozinha’ a SH 300 i, deixou-nos uma boa impressão no que diz respeito à rigidez torsional de todo o conjunto, que acaba por conceder um bom nível de conforto de rolamento, embora a protecção aerodinâmica seja escassa.

Tecnologia actualizada

Com início da comercialização no ano transacto, a SH 300 i completa a gama onde encontramos também a 125. No entanto, é na 300 que encontramos o `músculo´ do monocilíndrico a quatro tempo e quatro válvulas, que debita a potência máxima de 20 kW (27,2 cv) às 8.000 rpm. O binário máximo de 25,5 Nm (2,6 kgm) é atingido às 6.000 rpm… mas sobre o asfalto, as coisas não se passam como os dados técnicos deixariam antever.

A existência da injecção electrónica (PGMFI) concede à SH 300 i bons valores de aceleração, mas com uma rapidez de resposta que nos deixou agradavelmente surpreendidos. O sistema de transmissão por variação contínua (VMatic) concede uma boa disponibilidade em termos de potência e isso Honda SH 300ireflecte-se na possibilidade de ter um andamento vivo, mas com boa progressividade.

Com o peso a rondar os 170 kg (65,3 na frente + 103,8 atrás) a SH 300 i pode ser proposta com ABS elevando-se o peso de ordem em marcha para os 172 kg. No entanto e face à rapidez conseguida pelos 279,1 cc do motor, e pela segurança activa que o sistema de anti-bloqueio de travagem concede, consideramos o ABS um opcional muito interessante, e seguramente mais barato do que um eventual conserto se alguma das rodas blocar… e formos fazer uma sandes de alcatrão. Recorde-se que a segurança passiva é a que se destina a minimizar os efeitos de um acidente, e que a segurança activa – a par da condução defensiva – se destinam a evitar os acidentes.

No tocante a consumos de combustível, os parciais Honda SH 300ipor nós efectuados rondaram os 3,2 litros por cada 100 quilómetros percorridos, tendo sido utilizada a gasolina de 95 octanas.

Chave na mão

Em resumo a SH 300 i é uma “scooter” ligeira na imagem mas despachada quando se trata de acelerações e reprises. Para a colocar o motor a funcionar é preciso premir o travão esquerdo com algum dinamismo, porquanto se o aconchegar o motor não pega. Entre nós é proposta com uma “top case” que alberga um capacete integral ou 17,64 € de fruta devidamente acondicionada em caixas. Sob o banco ainda há espaço para alguns arrumos e quanto a valores para chegar a esta Honda, aqui ficam no quadro abaixo:

Honda SH 300 i

Euros (€)

Preço-base

3.916,67

Imposto Sobre Veículos

50

Sub-total

3.966,67

Imposto Valor Acrescentado (20%)

793,33

Total

4.760,00

Documentação

200 € iva incluído

Chave na mão 4.960,00

Imposto Único Circulação

7

Honda SH 300i

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Pin It